SAÚDE

Prefeitura de Palmas oferece inserção de DIU a mulheres da Capital
Para ter acesso ao serviço basta marcar uma consulta e realizar os exames indicados

Amparado pela Lei Federal Nº 9.263/96, o planejamento familiar é garantido pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Em Palmas, a Secretaria Municipal de Saúde (Semus) oferece o serviço nas Unidades de Saúde da Família (USFs), dentre eles o uso do Dispositivo Intrauterino (DIU). Na Capital, o procedimento é feito no Ambulatório de Atenção à Saúde (AMAS) e na Unidade de Saúde da Família da 409 Norte.




Conforme dados da Semus, de 1º a 23 de julho deste ano, a secretaria realizou a inserção do dispositivo em 300 mulheres. Para ter acesso ao serviço, basta marcar uma consulta com médico ou enfermeiro da USF de referência para iniciar o planejamento e definir, inclusive, qual o método contraceptivo a ser utilizado.  




O DIU é um objeto de plástico flexível em formato de "T", que ao ser inserido no útero atua como contraceptivo. A Semus fornece o DIU de cobre, que deixa o muco cervical com grande concentração da substância tóxica ao espermatozoide, o que impede que ele fecunde o óvulo. Podem usar o método mulheres maiores de 14 anos.




O DIU é contraindicado para mulheres menores de 14 anos, com má-formação no útero, com sangramentos anômalos e com infecção pélvica aguda – nesse caso, devem se tratar antes de usar o método. O dispositivo de cobre é muito eficaz para evitar a gravidez e tem aproximadamente 99,3% de eficácia. Em termos comparativos, a laqueadura é, em média, 99,6% eficaz e a pílula anticoncepcional, na prática, pode falhar em até 6% das vezes, devido a esquecimentos, uso inadequado ou interação com outros medicamentos.




Procedimento




O DIU é um método anticoncepcional reversível, de longa duração e de alta eficácia. Porém, até que seja inserido, a paciente é avaliada na consulta em conformidade com os critérios de elegibilidade para métodos contraceptivos da Organização Mundial de Saúde (OMS). Em seguida, o profissional de saúde realizará exame de colpocitopatologia (PCCU) e solicitará alguns exames laboratoriais, preconizados para a inserção do dispositivo.




Caso os resultados dos exames e colpocitopatológico sejam normais, a paciente será encaminhada para o setor de Atenção Secundária, por meio do Sistema de Regulação, para a inserção do contraceptivo. Posteriormente, o ginecologista irá realizar o atendimento para planejar a implantação do DIU, que ocorre durante o período menstrual. Por conseguinte, será realizada uma ultrassonografia para avaliar o posicionamento do dispositivo.




Durante o procedimento é feito uma ultrassonografia para avaliação da anatomia uterina, o colo é anestesiado para evitar o desconforto. Uma nova ultrassonografia é realizada para confirmar a localização do DIU, e a mulher é orientada a retornar em 30 dias para reavaliação da localização do dispositivo.




A Semus destaca que o uso do DIU não oferece qualquer tipo de proteção contra Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs), sendo necessário o uso de preservativo.




VEJA TAMBÉM



SAÚDE  |   25/09/2021 11h02

Palmas - TO
 

SAÚDE  |   21/09/2021 19h00

Palmas - TO
 

SAÚDE  |   14/09/2021 19h48

Palmas - TO